0
De mochilas nas costas e com passagens só de ida nas mãos, Bruno Rosin Martins e Renata Amaral, de 27 anos, se casaram e embarcaram em uma viagem de lua de mel "sem volta" pelo mundo. A primeira parada dos jovens de Limeira (SP) é a Indonésia e a próxima será a Tailândia. Os presentes recebidos em dinheiro pelo matrimônio serviram como parte do investimento para realizar o sonho de conhecer o mundo.
Se a ideia de viajar para mais de um país, de imediato, pode parecer algo caro, foi justamente esse o motivo que fez o casal trocar um único destino pelo projeto que os levará para vários lugares e que eles chamam de "honeytour". A passagem foicomprada com milhas. Bruno vendeu o carro. As economias foram investidas na aventura pelo mundo.
casalmacaco.jpg
"Sempre gostamos de viajar, quando fizemos o orçamento de nossa viagem de lua de mel para a Tailândia, as agências de turismo cobraram preços exorbitantes", afirmou.
"Pensamos que, com esse dinheiro, daria para viajarmos por muito mais tempo. Foi assim que surgiu a ideia", contou Bruno.
Eles ainda não sabem quando vão voltar para o Brasil e querem esticar a viagem o máximo possível. "Usamos verba própria e os cerca de R$30 mil que ganhamos como presente de casamento. Se arrumarmos algum tipo de patrocínio, pretendemos estender a viagem", relatou.
casalcrianças.jpg
Os destinos
No roteiro estão previstos como destinos como Indonésia, Tailândia, Camboja, Malásia, Cingapura, Filipinas, Vietnã, Laos, Myanmar, Índia. "Além desses, ainda pretendemos conhecer o Egito, Grécia, Turquia e Leste Europeu, mas ainda poderemos mudar de ideia", completou o recém-casado.
Além do dinheiro curto, entre os desafios de se embarcar em uma aventura como essa, os noivos optaram por levar o mínimo necessário e abriram mão de qualquer luxo.
"Nós nos hospedamos em lugares baratos como albergues, hostel, ou em esquema de Homestay. Também tentamos comer menos na rua e preparar nossa própria refeição", contou.
Os projetos ainda são muitos e, quando o casal voltar para o Brasil, começará a preparar a próxima viagem. "Gostamos de viver sem lugar fixo, então buscamos ideias que nos possibilitem isso", disse.
Eles abriram mão do aconchego do lar e da estabilidade profissional em busca de uma boa história para contar para os nossos filhos, netos e bisnetos.
casalindonesia.jpg
Fonte: Com informação do G1

Postar um comentário

Você Repórter

Você Repórter
 
Top