0
'Eram abusados, botando a gente pra procurar ele', disse Hosana, revoltada. Corpo de Fabiano, linchado no domingo, foi enterrado nesta segunda-feira.

 A irmã do vendedor de gelo que morreu espancado em Ipanema, na Zona Sul do Rio, no domingo (15), se mostrou de revoltada durante o enterro de Fabiano Machado da Silva, na tarde desta segunda-feira (16). Hosana dos Santos Machado disse considerar a atitude covarde e que acredita que a polícia vai identificar os culpados pela morte do irmão.

O corpo de Fabiano Machado da Silva foi sepultado na tarde no Cemitério de Vila Rosali em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Simultaneamente, alguns suspeitos de terem participado do espancamento se entregaram à polícia.
Ao ser questionado sobre as mensagens que recebeu dos suspeitos pelo celular do irmão, ela afirmou que a família não sabia que ele estava morto.
"A gente não sabia que ele estava morto, a gente pensava que ele estava conversando a gente é não era. Eles eram abusados, botando para a gente pra procurar ele. De repente ele está morto, minha filha conversando e achando que tava falando com ele. A atitude foi covarde, igual eles foram", afirmou.

Hosana disse que um dos agressores, além das mensagens, mandou uma foto da vítima. A imagem estaria no celular de Fabiano e teria sido tirada no dia em que ele foi agredido e morto. Nos arquivos, a família pergunta por "Bino", apelido da vítima. O agressor responde com uma foto, perguntando se era sobre Fabiano que estavam perguntando. Em seguida, o homem diz "ele deve tá MT mal no hospital de Tanto que ele apanhou".
Num dos textos, enviados através de mensagens, o autor da mensagem diz que provavelmente Fabiano Machado da Silva já estava morto: "FDP abusado... Mexe com a mulher dos outros e ainda vai querer dar uma de f(..). Se f(..).'.
Hosana dos Santos foi amparada por muitos amigos durante o velório.



Vítima estaria alcoolizada
Os familiares acreditam que Fabiano estava alcoolizado quando mexeu com as mulheres que passavam por ele, por causa de um áudio e das mensagens que ele tinha enviado antes da confusão. 
"A gente acredita que ele tinha bebido. Pela voz dele no áudio, dava pra ver que ele estava alcoolizado. Tanto que a minha filha mandou um áudio pra ele, falando pra ele ir pra casa. Antes daquela confusão ele ia pegar o caminhão e ia vir embora", disse Hosana.

"Todo dia de manhã a gente mandava mensagem de bom dia. E a minha filha mandou mensagem pra ele perguntando que horas ele ia voltar, porque ele ia dormir na casa dela. Aí ele [o agressor] começou a responder desse jeito, falando essas coisas. E a gente ficou assim sem saber. A minha filha ainda falou 'para de brincadeira, Fábio', e o cara continuava", completou.

G1

Postar um comentário

Você Repórter

Você Repórter
 
Top