0
A procuradoria de Paris confirmou nesta quarta-feira (18) que uma mulher-bomba se suicidou ao detonar os explosivos que carregava junto ao corpo, e que cinco pessoas que se encontravam entrincheiradas em um apartamento de Saint-Denis foram detidas em uma operação antiterrorista, que ainda está em curso nesse subúrbio localizado ao norte de Paris. Em comunicado, a Promotoria de Paris, responsável pela investigação, indicou que a mulher estava no imóvel alvo da operação e que "ativou seu colete de explosivos no início do assalto das forças de elite francesas (RAID)". Os agentes do Raid conseguiram tirar do apartamento três pessoas, que estão detidas. No entanto, a identidade delas ainda não foi confirmada, acrescentou o comunicado. Acredita-se que o belga Abdelhamid Abaaoud, considerado o mentor intelectual dos atentados que na última sexta-feira (13) mataram 129 pessoas em Paris, esteja no imóvel invadido pela Polícia francesa. A Promotoria, que não confirmou a presença de Abaaoud no local, afirmou que outras duas pessoas, um homem e uma mulher, relacionadas com o apartamento usado pelos suspeitos, também estão presos. A imprensa local indica que pelo menos uma pessoa permanece entrincheirada no apartamento, na rua do Corbillon, no centro bairro de Saint-Denis, próximo ao Stade de France, um dos seis palcos dos atentados terroristas da última sexta-feira. A emissora BFMTV afirmou, citando fontes ligadas à investigação, que um segundo suposto terrorista teria morrido na operação, abatido por um franco-atirador da Polícia francesa. A Promotoria acrescentou, além disso, que foram libertados dois familiares dos suicidas da terrorista passada, Ismael Omar Mostefai e Samy Amimour, que tinham sido presos para ser interrogados.
*****G1

Postar um comentário

Você Repórter

Você Repórter
 
Top