0

Quando o médico Bryan English pegou os resultados dos testes de inteligência feitos com os jogadores do Chelsea, ele precisou olhar duas vezes para um resultado. Surpreso, viu que Frank Lampard estava muito acima da média. E não só da média do elenco, mas da média mundial. O meio-campista mostrou ter a capacidade de um gênio.

Lampard, na época, atingiu 160 pontos, quociente de inteligência (QI) igual ao de nomes como o pai da teoria da relatividade, Albert Einstein, e do cofundador da Microsoft, Bill Gates. O físico britânico Stephen Hawking é mais um dessa lista. Estima-se que apenas 0,1% da população mundial atinja esse nível.

Médico do Chelsea entre 2005 e 2011, Bryan English já sabia que Lampard era apontado como um jogador acima da média no quesito inteligência. Só não esperava um resultado tão alto. "Não daremos os nomes, mas há um jogador aqui com QI superior ao meu", disse o médico na oportunidade, segundo relatos dos jornais ingleses.

Lampard, hoje jogador do New York City, estudou em um colégio muito forte na infância por desejo de seu pai, ex-jogador do West Ham. Foi nesse colégio, inclusive, que o meio-campista impressionou os professores ao ter nota máxima em latim, uma das matérias mais complicadas de seu curso.

Tamanha inteligência ajudou Lampard a ser um dos maiores nomes da história do Chelsea, time que ele defendeu durante 13 anos e pelo qual fez 429 partidas. Eleito o segundo melhor jogador do mundo em 2005, ajudou o Chelsea a conquistar a Liga dos Campeões de 2011-12, sendo capitão na final diante do Bayern de Munique.

Lampard também teve papel de liderança e voz ativa na seleção inglesa, com direito a ser capitão do time em alguns jogos. Nada surpreendente para alguém com o mesmo QI de Einstein, Bill Gates e Stephen Hawking.

Via Uol Esportes

Postar um comentário

Você Repórter

Você Repórter
 
Top