0
O homem com suspeita de infecção pelo vírus ebola, que estava em Belo Horizonte, chegou no Rio no fim da noite desta quarta-feira (11) para ser examinado no Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, na Fiocruz, em Manguinhos, no Subúrbio.

O avião da Força Aérea Brasileira (FAB) que o transportou pousou por volta das 23h20 no Aeroporto Internacional Tom Jobim, o Galeão. Uma equipe em solo, incluindo uma ambulância do Samu, aguardava o paciente na pista do terminal. Ele foi retirado do avião por volta das 23h35.

Paciente transferido de BH chegou no Rio em avião da FAB no fim da noite e foi recebido com esquema especial de segurança (Foto: Reprodução / TV Globo)Paciente transferido de BH chegou no Rio em avião da FAB no fim da noite e foi recebido com esquema especial de segurança (Foto: Reprodução / TV Globo)
A transferência do paciente de Minas para a capital fluminense foi anunciada à tarde pelo ministro da Saúde Marcelo Costa e Castro. 
“Ainda nesta quarta, o paciente deve passar pelo primeiro exame de confirmação ou não da doença. O resultado deve sair em 24 horas. Até lá, o paciente seguirá isolado", afirmou Castro.

Duas equipes foram mobilizadas para cuidar do paciente 24h por dia no Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas. Cada uma é composta por um médico, um enfermeiro e uma pessoa responsável pela desinfecção do ambiente.

O primeiro resultado de exames do paciente deve ser divulgado por volta de meio-dia desta quarta. Em caso negativo para o ebola, os exames serão repetidos 48h depois. Até lá, o paciente seguirá isolado.

Transporte especial
O paciente foi transportado no avião SC-105 Amazonas do Esquadrão Pelicano, da FAB, que foi adaptado em Brasília e decolou por volta das 16h para Belo Horizonte. A aeronave militar foi dividida internamente em três zonas, segundo a FAB: quente (a bolha onde fica o paciente), morna (local dos equipamentos e materiais para o paciente, e preparação dos profissionais que terão contato) e fria (livre de contágio, onde ficam os pilotos). A separação é feita por meio de cortinas específicas.

Avião da FAB foi adaptado para o transporte do paciente com suspeita de ter ebola (Foto: Reprodução / FAB)Avião da FAB foi adaptado para transportar o paciente com suspeita de ter ebola (Foto: Reprodução / FAB TV)
O paciente é um brasileiro de 46 anos que chegou em Belo Horizonte na sexta-feira (6) vindo da Guiné. No domingo (8), ele apresentou sintomas como febre alta, dor muscular e dor de cabeça. Na noite desta terça-feira (10) ele foi atendido em uma UPA da capital mineira. Segundo o ministro da Saúde, assim que a consulta indicou que os sintomas possam ser compatíveis com a doença, a equipe de atendimento deu início ao protocolo nacional definido para os casos suspeitos de ebola.
O ministério informou que o paciente está estável e não apresenta quadro de gravidade. Ele se enquadrou na definição de ebola – ainda não confirmado – apenas por apresentar febre e por ter vindo de um país com transmissão da doença.
"Seguindo o protocolo, a secretaria municipal notificou a Secretaria Estadual de Saúde, que notificou o Ministério da Saúde", explicou Castro. Nesta quarta, o governo federal já informou o caso suspeito à Organização Panamericana de Saúde.
Isolamento
Desde a adoção do protocolo, a UPA de Belo Horizonte onde o paciente recebeu atendimento foi "isolada e não está recebendo pacientes". Os pacientes que procuram o local estão sendo encaminhados para outros centros de saúde.
O paciente e os funcionários que trabalhavam na unidade estão em quarentena.

Ministro pede tranquilidade
"É importante tranquilizar a população", disse o ministro, que lembrou que a doença só é transmitida por meio de contato com os fluidos corporais do paciente.

"Assim que tivermos o resultado do primeiro exame, iremos fazer nova comunicação para a imprensa com os próximos passos que serão adotados, em caso de resultado positivo e negativo", afirmou Castro.
O ministério reiterou que "o ebola só é transmitido através do contato com o sangue, tecidos ou fluidos corporais de indivíduos doentes", e que "o vírus somente é transmitido quando surgem os sintomas".
Novos casos de ebola na Guiné
Segundo a OMS, dois novos casos de ebola foram confirmados no dia 16 de outubro na Guiné, depois de duas semanas sem registros de novos pacientes.

Geralmente se considera que uma epidemia de Ebola está encerrada quando uma localidade passa 42 dias sem nenhum caso da doença. Os dois outros países mais afetados pelo surto foram a Libéria, que foi declarada livre da transmissão em 3 de setembro, e Serra Leoa, que no último sábado (7) recebeu a mesma declaração.
Paciente está isolado em quarentena, assim como os funcionários da UPA.  (Foto: Fernanda Carvalho/Estadão Conteúdo)Paciente está isolado em quarentena, assim como os funcionários da UPA de BH onde ele foi atendido. (Foto: Fernanda Carvalho/Estadão Conteúdo)Fonte: G1

Postar um comentário

Você Repórter

Você Repórter
 
Top