0
É muito comum vermos histórias de descobertas arqueológicas que trazem consigo objetos que não se encaixam no contexto. Isso ocorreu com uma descoberta recente onde um relógio de pulso foi achado em uma tumba chinesa de 400 anos. Como o objeto era muito moderno para a época as pessoas estão intrigadas com esse ocorrido, mas os profissionais ainda não conseguem explicar o caso.

Para peças que não condizem com a descoberta, como nesse caso em que o relógio é uma criação muito posterior aquele tempo da tumba, os profissionais até criaram uma sigla para defini-las. Essas peças são chamadas de OOPArt, do inglês “Out of Place Artifact”. Traduzindo para o português significa “Artefatos fora de lugar”, o que se aplica perfeitamente ao ocorrido.

É muito comum vermos publicações de peças e materiais atuais que são encontrados em descobertas super antigas. Até para os próprios profissionais da área é difícil definir e explicar como é que aquela peça se juntou a tal artefato tão antigo. E não é só esse caso do relógio que está sem solução, temos vários outros nesse mesmo sentido e que seguem sem solução.

O relógio de pulso que foi encontrado em uma tumba chinesa de 400 anos é um mistério desde 2008, quando foi descoberto. Esse simples relógio vem intrigando muita gente e foi durante as escavações da antiga tumba que esse objeto foi encontrado. Durante a remoção da terra que estava ao redor do caixão este objeto foi encontrado, ele é bem pequeno e tem um formato de um anel. Mesmo assim não deixa de ser um objeto que não tinha a ver com a época, o que torna o assunto um mistério do qual não foi solucionado.

A Tumba chinesa de 400 anos estava localizada em Shangsi, na China, junto com ela os arqueólogos encontraram um anel no formato de um pequeno relógio de pulso suíço. Esse pequeno acessório ainda trazia uma inscrição chamada de “Swiss”.

Os exames que foram feitas no local não mostram nenhum tipo de contato que alguém teve com aquela turma, ou seja, para os arqueólogos mais ninguém esteve naquele local depois que a tumba foi colocada lá. A sepultura pertencia a Dinastia Ming. A falta de respostas acaba tornando tudo um suspense, pois não sabemos como esse objeto foi parar lá, e ele não tinha sido criado na época.

Como naquela época não existia um relógio de pulso, o objeto fica muito fora de contexto. O primeiro relógio de pulso foi criado somente em 1814 e a tumba é muito mais antiga do que essa data. Outra questão que intriga a descoberta é que nem mesmo a Suíça existia como país naquela época.

Depois que foi encontrado, o objeto está mantido guardado com as autoridades chinesas e o público não consegue ter acesso ao mesmo. Os pesquisadores ainda tentam procurar uma resposta para a descoberta.

Como ainda não tem explicação para o caso, muitas pessoas associam que esse acontecido seja uma prova de que existem visitas de seres alienígenas no passado e que essas visitam podem ocorrer até nos dias atuais. Há também informações que circulam sobre a possibilidade de pessoas fazerem viagens no tempo, e isso explicaria o fato desse objeto estar em uma descoberta tão antiga.

São muitas as teorias que tentam explicar como que esse relógio tido como moderno para época foi parar dentro de uma tumba de 400 anos. Mas nenhuma definição ainda foi concluída e por isso que o mistério segue como inexplicável. Desde de 2008 que não temos nenhuma resposta dos pesquisadores que apontaria para uma solução lógica para uma descoberta tão estranha como essa.



Fonte: estudosuperior.com.br

Postar um comentário

Você Repórter

Você Repórter
 
Top