0
Segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde (MS), estado subiu uma posição na classificação de estados com mais notificações da doença O Maranhão subiu no ranking de casos notificados de microcefalia no Brasil.



O estado passou de 9ª para 8ª colocação em boletim divulgado nesta quarta-feira (3) pelo Ministério da Saúde. No país, até 30 de janeiro, estavam sendo investigados 3.670 casos suspeitos da doença.
No dia 15 de dezembro do ano passado, haviam sido notificados 56 casos no estado e, agora, o Maranhão possui 132 em investigação pelo órgão. A lista de estados com mais casos são: Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro e Sergipe.

Brasil

O Ministério da Saúde e os estados investigam 3.670 casos suspeitos de microcefalia em todo o país. Isso representa 76,7% dos casos notificados. O novo boletim aponta, também, que 404 casos já tiveram confirmação de microcefalia e/ou outras alterações do sistema nervoso central, sendo que 17 com relação ao vírus Zika. Outros 709 casos notificados já foram descartados. Ao todo, 4.783 casos suspeitos de microcefalia foram registrados até 30 de janeiro.

Os novos números demonstram aumento dos casos já classificados como confirmados e descartados nesta última semana, se comparado a semanas anteriores. O crescimento dos casos investigados e classificados foi de 52%, com relação ao boletim do dia 23 de janeiro. Eram 732 na semana anterior, passando para os atuais 1.113.

Óbitos
No total, foram notificados 76 óbitos por microcefalia e/ou alteração do sistema nervoso central após o parto (natimorto) ou durante a gestação (abortamento espontâneo). Destes, 15 foram investigados e confirmados para microcefalia e/ou alteração do sistema nervoso central, sendo que cinco tiveram identificação do vírus Zika no tecido fetal. Outros 56 continuam em investigação e cinco já foram descartados.

Cabe esclarecer que o Ministério da Saúde está investigando todos os casos de microcefalia e outras alterações do sistema nervoso central, informados pelos estados e a possível relação com o vírus Zika e outras infecções congênitas. A microcefalia pode ter como causa diversos agentes infecciosos além do Zika, como Sífilis, Toxoplasmose, Outros Agentes Infecciosos, Rubéola, Citomegalovírus e Herpes Viral.

Orientação

O Ministério da Saúde orienta as gestantes adotarem medidas que possam reduzir a presença do mosquito Aedes aegypti, com a eliminação de criadouros, e proteger-se da exposição de mosquitos, como manter portas e janelas fechadas ou teladas, usar calça e camisa de manga comprida e utilizar repelentes permitidos para gestantes.

 Imirante

Postar um comentário

Você Repórter

Você Repórter
 
Top