0
Dez pessoas foram presas e um vasto material para fabricação e embalo da droga, além de comprimidos foram apreendidos.
Uma trabalho de investigação da Polícia Civil do Estado do Ceará (PC-CE) resultou na desativação do primeiro laboratório de drogas sintéticas no Estado. O trabalho policial teve início no dia 6 de março deste ano. A ação terminou com a prisão de 10 pessoas, entre elas dois empresários, responsáveis por organizar e promover festas Raves.

A última festa desse estilo aconteceu no domingo (20), em uma casa na Lagoa do Banana, em Caucaia, Região Metropolitana de Fortaleza. Na ocasião, uma pessoa morreu vítima de uma overdose.

Foram presos: Dennys Passos Lima, o “Dennys Manaus”, de 37 anos; e David Alves de Oliveira, de 28 anos; que respondem a processo por uso de entorpecentes; Rodrigo Teixeira Costa Novo de 24 anos, o "R. Costa", que responde a processo por crime ambiental; e Yago Mota do Nascimento, de 23 anos, que já responde por violação ao estatuto de defesa do torcedor.

Além deles, foram capturados pelos policiais: Jordão Sobral Santos, de 20 anos; Tatiane Lioça Jurema, de 29 anos, a "Taty Loura"; Emanuel Lucian Silva Rabelo, de 25 anos; Leonardo Felipe Rodrigues, de 25 anos; Caio Araújo Braga, de 27 anos; e Leandro Corrêa Braga, de 29 anos; todos sem antecedentes criminais.

As prisões aconteceram no Centro de Fortaleza, no Papicu, no Cocó, no José Walter, no Cambeba e na Lagoa do Banana, Zona Rural do Cumbuco de Caucaia.
A Polícia apreendeu, ainda, 1.738 comprimidos de ecstasy, 25 gramas de MDMA, 1.546 micropontos de LSD, 6 frascos de LSD líquido (utilizado para a fabricação dos micropontos), 1 kg de maconha, 575 gramas de cocaína, 2 kg de substâncias para refino de cocaína e preparo de crack, balanças digitais, celulares, notebook e quatro maquinetas cheques e cartões magnéticos em branco, embalagens, apetrechos para fabricação de drogas.

Postar um comentário

Você Repórter

Você Repórter
 
Top