0
  A criação de incentivos para estimular a dessalinização de águas do mar e de fontes subterrâneas salobras pode fazer parte das diretrizes e objetivos da Lei Federal do Saneamento Básico. A medida é prevista em projeto de lei (PLS 259/2015), do senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) aprovado pela Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT) nesta terça-feira (17).
Agora a matéria seguirá para análise na Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA), em decisão terminativa. Se aprovada, poderá seguir diretamente para análise na Câmara, sem passar em Plenário, a menos que haja recurso assinado por pelo menos nove senadores.
A proposta também determina que a União, na concessão dos incentivos, atribua prioridade a iniciativas que favoreçam o consumo humano na região do Semiárido nordestino além de localidades com escassez de água.
Com base em dados da Organização das Nações Unidas (ONU), Eunício Oliveira informa em seu projeto que 97,5% da água existente no mundo é salgada. Para muitas comunidades do Semiárido, a água subterrânea é salobra, inadequada para o consumo.
O autor explica ainda que, com o desenvolvimento tecnológico que está reduzindo o custo dos processos de dessalinização, chegou a hora de criar base legal para a criação de incentivos que possam aumentar a oferta de água potável no Brasil, especialmente no Nordeste, a região mais carente desse recurso.
O relatório do senador Eduardo Amorim (PSC-CE) considera importante a inclusão do incentivo à dessalinização entre as diretrizes estabelecidas na política federal de saneamento, estabelecida pela Lei 11.445/2007. Segundo ele, a medida é compatível com as necessidades de muitas regiões do país e pode ser útil ao desenvolvimento de tecnologias úteis para outras nações.

**** Agência Senado.

Postar um comentário

Você Repórter

Você Repórter
 
Top