0
Vítima passou por cirurgia e está internada em estado grave no Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea.

Segundo informações repassadas à Redação do Portal Netcina, a jovem é natural da cidade de Ipu, a 296 km de Fortaleza, sendo sua família da localidade Jatobá.

Uma mulher levou três facadas do marido durante uma briga, na tarde desta quarta-feira, na Rocinha, comunidade da Zona Sul. O agressor foi preso e a vítima segue internada em estado grave no hospital municipal Miguel Couto, na Gávea, onde passou por uma cirurgia.

Paulo Roberto Menezes Lopes, 32 anos, foi preso depois de ser linchado e queimado com pontas de cigarro e cera de vela por moradores da favela, que, em seguida, o entregaram amarrado a policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da região.

Sua mulher, Luciana Rodrigues Alves, de 25 anos, estava dentro de casa cozinhando na companhia do filho, de 4 anos, quando o marido chegou em casa, após beber em um bar. O casal começou a discutir e, no meio da briga, Luciana pegou uma faca de cozinha e partiu para cima de Roberto. Ele conseguiu desarmar a mulher, dando-lhe, em seguida, três facadas próximo ao abdômen, seio e mãos. O filho do casal assistiu toda a cena.

De acordo com Bruno Reis, delegado adjunto da 14°DP (Leblon), o agressor confessou a tentativa de homicídio, porém não soube explicar o motivo da briga. “Paulo Roberto confessou que bebeu desde 13h30 em um bar da Rocinha e que esfaqueou a vítima quando chegou em casa. Ele também falou que trancou a porta da residência para não ser pego e para que ela não fosse socorrida”, declarou o delegado. Ainda segundo o acusado, traficantes da Rocinha o ameaçaram após o crime. “Bateram com a ponta do fuzil no rosto dele”, completou Bruno Reis.

Devido aos gritos, moradores decidiram quebrar a janela da casa e socorrer Luciana. Durante a discussão, por volta das 17h30, o filho dela fugiu de casa e buscou ajuda na casa da tia, que mora próximo. A criança chegou à residência da tia falando ‘dinda, meu tio matou minha mãe’. De acordo com o depoimento de Maria Lucimar, irmã da vítima, à polícia, o menino estava com a roupa coberta de sangue mas não teve ferimentos.

O casal se relacionava há quase um ano, morava junto há quatro meses e não tinha histórico de brigas. A família da vítima informou que sabia que Paulo Roberto consumia bebida alcoólica todos os fins de semana e ficava exaltado, mas não soube dizer se ele já havia cometido alguma agressão antes.

Paulo Roberto, que não possui antecedentes criminais, foi levado da Polinter para o Complexo Penitenciário de Bangu. O agressor responderá por tentativa de homicídio enquadrado na Lei Maria da Pena, onde pode pegar pelo menos 20 anos de prisão.

Com informações O Dia e Redação do Portal Netcina

Postar um comentário

Você Repórter

Você Repórter
 
Top