0
O lutador de jiu-jitsu da Nova Zelândia Jason "Jay" Lee relatou na web ter sofrido um sequestro relâmpago por homens fardados neste sábado quando voltava de uma competição em Resende, no Rio. De acordo com Jay, os homens o fizeram rodar por diversos caixas eletrônicos após exigirem cerca de R$ 2 mil de suborno porque ele estava dirigindo sem o passaporte. Em um desabafo com amigos no Facebook, o atleta comentou: "Os policiais podem fazer o que quiserem por aqui".
"Fui sequestrado no Brasil. Não por uns caras quaisquer, mas por policiais fardados. Fui ameaçado ser preso caso não entrasse no carro deles e os acompanhasse a vários caixas eletrônicos para tirar dinheiro para um suborno", escreveu Jay em sua página no Facebook.
"Não sei ao certo o que é mais deprimente, o fato dessas coisas estarem acontecendo com estrangeiros perto dos Jogos Olímpicos ou o fato de os brasileiros terem de viver em uma sociedade que permita que isso aconteça diariamente", refletiu o atleta.
Segundo Jay, a polícia alegou que ele, por ser estrangeiro, não poderia estar dirigindo um carro alugado sem passaporte. "Eu sei que é mentira. A companhia que alugou para mim não mencionou isso em nenhum momento", afirmou o lutador.
Em entrevista ao neozelândes "Stuff", Jay contou que a polícia fez de tudo para não serem vistos e mandou que ele não denunciasse o crime. Ao ser abordado, ele relatou ter sido apalpado na área genital, "o que foi uma surpresa".
O atleta de 27 anos mora no Brasil há cerca de um ano para treinar o jiu-jitsu brasileiro, tido como o melhor do mundo. Procurada, a Polícia Militar (PM) respondeu que não há registro desta ocorrência.
*** Informações com : O Dia

Postar um comentário

Você Repórter

Você Repórter
 
Top