0
O MMA brasileiro brilhou no UFC 200. Na luta principal da noite, Amanda Nunes atropelou a então campeã Miesha Tate e conquistou o cinturão peso-galo feminino na madrugada deste domingo, em Las Vegas, nos Estados Unidos. A lutadora de Salvador não deu a menor chance para a americana e venceu por finalização, depois de encaixar uma sequência de golpes, em pouco mais de três minutos de luta. Aos 28 anos, ela se tornou a primeira brasileira campeã do UFC.
O Brasil começou o sábado sem nenhum campeão do UFC, algo que nao ocorria havia quase dez anos. No entanto, as vitórias de José Aldo, que conquistou o cinturão interino dos penas, e de Amanda Nunes recolocaram o país no topo do MMA. A vitória da lutadora baiana foi uma das mais empolgantes da noite.
A luta principal da noite seria a disputa de cinturão entre Jon Jones e Daniel Cormier, mas, Graças ao corte de última hora de Jones, flagrado em exame antidoping, a disputa feminina foi escolhida pelo presidente Dana White como a grande atração do megavento. Amanda Nunes, então, aproveitou a chance da vida e massacrou a ex-campeã Tate com uma atuação impecável.
A brasileira foi mais ofensiva desde o início e conseguiu balançar Tate com um direto de direita que quebrou o nariz da americana. Grogue, Tate ainda levou uma sequência de golpes de Amanda e o nocaute estava encaminhado. A consagração veio já no chão, com a brasileira aplicando um mata-leão sem a menor dificuldade. Tate, de 29 anos, deixou o octógono desfigurada, sangrando muito, e parabenizou a brasileira com um cordial abraço.
Já de posse do cinturão, Amanda dedicou a façanha à família no Nordeste. "É para você, vó. Estou voltando. Há um ano não vejo minha família, mas estou indo para o Brasil e levando esse cinturão comigo", disse a atleta, que vive nos Estados Unidos.
A categoria, que foi dominada por Ronda Rousey por muitos anos, tem sua terceira campeã em menos de um ano. Em novembro de 2015, a americana Holly Holm tomou o cinturão de Ronda, mas, quatro meses depois, foi nocauteada por Miesha Tate. A tendência agora é que a brasileira defenda seu cinturão diante de Ronda Rousey, que está há quase um ano sem lutar.
*** Informações da Revista Veja

Postar um comentário

Você Repórter

Você Repórter
 
Top