0
Um homem foi preso acusado de manter uma mulher em cárcere privado por 18 horas dentro do sítio onde ele trabalhava como caseiro, em Paracuru, no Litoral Oeste. A prisão aconteceu na última segunda-feira (29), após a vítima fugir do cativeiro e denunciar o caso na Delegacia Municipal de Paracuru.

Edilson Soares Pereira (46) disse que conheceu a vítima na tarde de sábado (27), em frente ao sítio. O suspeito afirmou, em depoimento, que convidou a jovem para comer frutas no quintal da residência e no local, tomou-lhe o celular e a amarrou. O suspeito confessou ter tido quatro relações sexuais com a mulher, mas nega que a tenha estuprado.
A vítima contou aos policiais que o suspeito ameaçou matá-la com um facão, caso ela o denunciasse à Polícia. Ela afirma que foi amarrada, torturada e mantida nua por todo período que ficou sob domínio do acusado.
Após cerca de 18 horas, a vítima conseguiu fugir do local e relatou o ocorrido aos agentes de segurança.
Os policiais foram até o sítio e prenderam o suspeito. No local, foram encontradas peças íntimas de outras mulheres, que a polícia acredita estarem mortas.
Segundo o delegado de Paracuru, Carlos Alexandre, uma mulher identificada como Adriana está desaparecida há um mês e a polícia está trabalhando com a hipótese dela ter sido uma vítima do maníaco.
Edilson, que já foi levado para uma das Casas de Privação do Estado, responderá pelos crimes de cárcere privado e estupro.

Postar um comentário

Você Repórter

Você Repórter
 
Top