0
O destino da criança trancada pela própria mãe em um quarto escuro em Ceilândia após uma pastora evangélica induzi-la a acreditar que a filha estava possuída pelo demônio poderia ter um desfecho trágico. Denúncias levadas ao Conselho Tutelar da região administrativa por uma testemunha dão conta de que a menina de 8 anos seria sacrificada. O ritual de exorcismo teria a participação da própria mãe e da pastora Jacivã Pereira dos Santos (foto de destaque), conhecida como Jaci, 44 anos, que prega na igreja Casa da Oração Pentecostal dos Escolhidos de Deus.
Ambas foram presas na última sexta-feira (5/8), quando a Polícia Militar resgatou a menina, que vivia trancada em um quarto escuro nos fundos do templo, em Ceilândia Norte. No entanto, a mulher e a suposta religiosa foram libertadas no domingo (7), após audiência de custódia na Justiça do DF.
O episódio provocou uma enxurrada de denúncias recebidas pelo Conselho Tutelar, e o caso pode ser ainda mais assustador. Segundo relatos de testemunhas, pelo menos quatro crianças foram abandonadas pelas mães — todas fiéis da igreja — por suposta influência de Jaci.
Jacivã teria convencido as mulheres de que os filhos delas estavam com o “demônio no corpo”. Por isso, precisavam se afastar das crianças. As fiéis seriam orientadas a se separar dos maridos e a cortar relações com todos os parentes, com a desculpa de que todos estariam “endemoniados”.
Na noite de terça-feira (9/8), o Metrópoles esteve na igreja em Ceilândia Norte e registrou parte do culto. Mesmo depois de passar 48 horas na cadeia, Jaci fez questão de contar aos fiéis que, de fato, a menina vítima de cárcere privado estava com o “demônio no corpo”, e que poderia se tornar uma ameaça a todos. “Qualquer hora ela poderia pegar e matar, né? Manifestar os demônios”, disse a pastora durante o culto. Quando percebeu que estava sendo gravada, ela fechou as portas do local.

Postar um comentário

Você Repórter

Você Repórter
 
Top