0
A Polícia Civil prendeu outros três acusados de terem participado do ritual de magia negra, em que uma menina de apenas três meses foi torturada com agulhas, que foram inseridas na cabeça e no abdômen.
As prisões foram cumpridas em Jaciara (147 km ao Sul de Cuiabá). Já o ritual aconteceu no último domingo (11), na cidade de São Pedro da Cipa (5 km depois).
Iraci Queiroz dos Santos, 42, conhecida como "Baiana", foi presa na terça-feira (13), apontada como a mandante do ritual religioso.
Débora Queiroz, 20, e Ricardo César dos Santos, que são filha e genro de Baiana, foram presos na quarta-feira (14). 
O pai do bebê, Wellinton de Jesus Costa, 28, e a mãe da vítima, uma menor de 17 anos, foram detidos na terça-feira (13). Eles entregaram a filha para o ritual macabro em troca de R$ 250. 
A mãe da vítima, a menor C.S.S, 17, foi ouvida e liberada ao Conselho Tutelar, por não estar em flagrante. No entanto, ela será responsabilizada por ato infracional análogo à tentativa de homicídio.
Segundo as investigações, o crime foi realizado na casa de Débora.
O delegado responsável pelo caso, Marcelo Melo de Laet, disse que, durante o ritual, a menina teria ficado no centro de um círculo e os acusados estariam em volta, observando e participando dos atos, com o pai da bebê.
O caso
A Polícia Civil foi acionada pelo Conselho Tutelar na noite de segunda-feira (12), assim que o bebê deu entrada no Hospital Municipal de Jaciara.
Os conselheiros receberam denúncia da equipe médica sobre suspeita de maus tratos.
Assim que recebeu a menina, a equipe médica constatou que ela sofria fortes dores e apresentava hematomas no couro cabeludo.
No relatório médico da paciente constava ainda que cerca de duas semanas atrás, a menina esteve no mesmo hospital apresentando cortes nos pés.
Também será investigada a suspeita de maus-tratos contra o irmão de dois anos da menina.
Segundo o delegado, tanto o pai da criança quanto a mulher que realizou o ritual serão responsabilizados por tentativa de homicídio e corrupção de menores, já que a mãe da vítima é menor.
A menina A.L.J.S, 3 meses, segue internada em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Santa Casa de Rondonópolis.
A equipe médica constatou a presença de três agulhas, duas na cabeça e uma na região do abdômen.
O caso continua em investigação pela Delegacia de Polícia de Jaciara.
***** Informações com: Repórter MT

Postar um comentário

Você Repórter

Você Repórter
 
Top