0
O estudo publicado pelo jornal O Globo comprovou que, em uma década, as taxas de homicídios no Ceará, por cada grupo de 100 mil habitantes, aumentaram 126,39 por cento

Ceará é o campeão da violência armada no Brasil que produz assassinatos. A comprovação é de uma pesquisa publicada pelo Jornal carioca O Globo nesta terça-feira (15), que apontou a variação nas taxas de homicídios por cada grupo de 100 mil habitantes em 10 anos, entre 2005 e 2015.

No Ceará, a pesquisa aponta que o estado a variação no período foi de, nada menos, que 126,39 por cento. Em 2005, o Estado apresentou uma taxa de 18,64 mortos por cada grupo de 100 mil habitantes. Dez anos depois, em 2015, esse patamar subiu para 42,2 mortos.

A reportagem explica que os números são crescentes em todo o País, praticamente, porém, alguns estados se destacam na piora demasiada dos índices de mortes violentas. Além do ceará, o campeão no ranking da violência, segundo o estudo, se destacam negativamente também os estados do Amazonas (com variação de 107,29), Maranhão (103,21), Rio Grande do Norte (97,51), Goiás (97,34), Paraíba (94,93) e Rio Grande do Sul (70,25). Globo comprovou que, em uma década, as taxas de homicídios no Ceará, por cada grupo de 100 mil habitantes, aumentaram 126,39 por cento

Ceará é o campeão da violência armada no Brasil que produz assassinatos. A comprovação é de uma pesquisa publicada pelo Jornal carioca O Globo nesta terça-feira (15), que apontou a variação nas taxas de homicídios por cada grupo de 100 mil habitantes em 10 anos, entre 2005 e 2015.

No Ceará, a pesquisa aponta que o estado a variação no período foi de, nada menos, que 126,39 por cento. Em 2005, o Estado apresentou uma taxa de 18,64 mortos por cada grupo de 100 mil habitantes. Dez anos depois, em 2015, esse patamar subiu para 42,2 mortos.

A reportagem explica que os números são crescentes em todo o País, praticamente, porém, alguns estados se destacam na piora demasiada dos índices de mortes violentas. Além do ceará, o campeão no ranking da violência, segundo o estudo, se destacam negativamente também os estados do Amazonas (com variação de 107,29), Maranhão (103,21), Rio Grande do Norte (97,51), Goiás (97,34), Paraíba (94,93) e Rio Grande do Sul (70,25).

Com informações de Revista Ceará

Postar um comentário

Você Repórter

Você Repórter
 
Top