0
Pai foi acusado por familiares e amigos de espancar o filho até a morte após descobrir que ele era homossexual.

O caso aconteceu em Tianguá

A morte de um jovem no município de Tianguá, no interior do Ceará, causou revolta na população. Gabryel Schneyder Ribeiro Magalhães, de 16 anos, foi a vítima.
Segundo a versão apresentada pela avó do garoto, a morte teria sido provocada pelo pai que espancou o filho após descobrir que ele era homossexual.
O programa Vem que Tem, da TV Jangadeiro/SBT, foi até o município para conversar com a família, e uma nova versão da história pode dar uma reviravolta no caso.
Em entrevista, Michele Cardoso – mãe do garoto – afirma que o filho não foi morto por ser homossexual. “O que eu queria esclarecer é que no dia que meu filho veio falecer ele já estava dando um pouquinho de trabalho (…) Eu sou a mãe e ele era o pai, embora meu filho fosse [homossexual], jamais a gente deixaria de amar, então não houve isso que estão dizendo aí”.
A mãe do garoto afirma que no dia da morte ele saiu para fazer uma prova e não voltou para casa. Michele conta ainda que ela chamou o pai para conversar com o filho. “O pai veio, não teve paciência e corrigiu o filho batendo com a mão. Nessa hora, ele entortou a mão e virou o olho”.
Após o acontecimento, o pai levou o filho para o hospital. A mãe do jovem explica que o jovem sofria de alto índice de estresse e ansiedade e, por isso, tomava remédio.
O caso continua sendo investigado pela Delegacia Regional de Tianguá, já o laudo sobre o que teria provocado a morte do Gabriel Ribeiro ainda vai ser liberado pela Perícia Forense do Ceará.
A Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) informa que mantém as diligências no intuito de elucidar o caso. Mais detalhes serão repassados em momento oportuno, para não comprometer os trabalhos policiais.
Veja todos os detalhes no vídeo do Vem que Tem, da TV Jangadeiro/SBT:

Postar um comentário

Você Repórter

Você Repórter
 
Top