0
Os desfiles das escolas de samba do Rio e de São Paulo tiveram muita empolgação, samba no pé e, claro, musas com pouca roupa.
Em São Paulo, Ju Isen atraiu todos os holofotes. A musa da Unidos do Peruche queria atravessar o Anhembi usando apenas um tapa-sexo contra a presidente Dilma. Proibida pela agremiação, Ju colocou uma roupa que pouco combina com ela: muito tapada. No meio do desfile ela tratou de arrancar a fantasia em protesto. Resultado? Uma grande confusão que terminou em ameaça de processo dos dois lados.

Mas não foi só ela quem causou no sambódromo paulistano. Elaine Abreu, destaque da Rosas de Ouro, aproveitou que o enredo da escola era tatuagem e desfilou com o corpo sem nada, coberto apenas por desenhos.

Sem nenhuma pluma, Ana Paula Minerato, musa da Gaviões, deixou a vergonha de lado e sambou com um peito de fora (coberto apenas por um lib prateado). Ao fim do desfile, ela disse que gosta de inovar a cada ano (continue assim, Ana!).

 Cynhtia Santos, rainha de bateria da Águia de Ouro, deixou de lado o fato do tema de sua agremiação ser religioso e usou uma segunda pele bastante ousada, daquelas que só cobre mesmo o necessário.

o Rio não teve ninguém que superasse a ousadia de Ju Isen, mas algumas também quiseram marcar seu nome pelo atrevimento. Para começar, uma guerra de tapa-sexos movimentou a passarela do samba. Com um tapa-sexo de apenas 2 cm, Dani Sperle se gabava de ostentar a menor peça entre todas as gatas. Porém, Andréa Martins, que assim como Dani desfilou na União da Ilha, surgiu com um que, segundo ela, tinha apenas 1,5 centímetro. Bastou para se instaurar uma disputa entre elas. Será que a briga seguira para 2017?

Alheia a isso, Juju Salimeni também "chegou chegando" no carnaval carioca como musa da Unidos da Tijuca. Para a ocasião, ela usou um look que parecia deixar o corpo dela coberto apenas por um tapa-sexo. Também, com um tanquinho desses, para que cobrir, não é mesmo?

Rainha da Vila Isabel, Sabrina Sato usou a fantasia que, segundo ela, é a "mais ousada entre todas que já vestiu". "Minha fantasia é uma guerreira então tem que ter ousadia. Gosto sempre de me reinventar, de fazer coisas diferentes. Faço tudo pela bateria, pela escola e pelas pessoas que vem assistir", disse a apresentadora, que sambou muito mesmo com o bumbum de fora. A japa pode!

Para quem esperava mais, fica a torcida para que as musas se dispam da vergonha para o desfile das campeãs - sexta, em São Paulo, e sábado, no Rio - . Quem sabe em um desfile que não vale nota elas não se sintam mais livres para colocarem à mostra toda a formosura que ostentam?


ego




























Postar um comentário

Você Repórter

Você Repórter
 
Top