0
Investigações da Polícia Civil mostram que o ex-prefeito preso por suspeita de pedofilia pagava de R$ 20 a R$ 200 para fazer sexo com crianças e adolescentes em Taiobeiras, no norte de Minas. Algumas mulheres recebiam para aliciar vizinhas ou sobrinhas para Joel da Cruz Santos, de 76 anos. Santos foi preso na quinta-feira (31) em uma fazenda que mantém em Curionópolis (PA). O advogado dele nega as agressões e afirma que as acusações são motivadas por "perseguição política". No entanto, o político já havia sido denunciado pelo mesmo crime há dez anos. Segundo o delegado Alessandro Lopes, duas mães foram presas por permitirem os abusos às filhas. Elas não tiveram os nomes divulgados. Até agora, a Polícia Civil já identificou seis vítimas, entre cinco e 17 anos.
Joel da Cruz Santos vai responder pelos crimes de estupro de vulnerável e exploração sexual de criança e adolescente. Ele foi levado para o presídio regional de Montes Claros. Para a polícia, é importante que ele fique fora da cidade para não atrapalhar os depoimentos e para que possíveis vítimas possam procurar a delegacia.
Investigações
Santos teve a prisão preventiva decretada em 2015 depois que o Conselho Tutelar e o Centro de Referência em Assistência Social tiveram acesso ao depoimento de uma criança de dez anos que contou que era aliciada pela mãe para se prostituir. Um dos clientes seria o ex-prefeito. A criança afirmou que a irmã de cinco anos também era levada para a casa do político, onde eram obrigadas a manter relações sexuais em troca de pagamento.
*****R7

Postar um comentário

Você Repórter

Você Repórter
 
Top