0
A Polícia Civil anunciou nesta segunda-feira (4) a prisão de Francisco Régio de Sousa, líder da facção criminosa que ordenou ataques a ônibus em Horizonte no último mês de abril, por retaliação a algumas transferêncas de presos no Estado. Mais conhecido como 'Severino' ou 'Gordinho', ele foi capturado na última quarta-feira (29), em sua residência, no bairro Mangueiral, em Horizonte, em uma operação conjunta da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) e da Unidade Tática Operacional (UTO).

De acordo com o delegado Harley Filho, titular da Draco, além de ter ordenado os ataques em abril, Régio também é apontado como mandante de diversos homicídios e operações de tráfico de drogas em Horizonte e outros municípios da região. "Já confirmamos que ele estava abastecendo também outras cidades. Utilizava seu transporte próprio para ir até até determinada cidade, fazer a negociação, e posteriormente transportar a droga e algumas armas de fogo também", ressaltou o delegado.

Ainda segundo o titular da Draco, todas as ações tomadas pela facção criminosa passavam pelo aval de Régio, que era o único líder da quadrilha que ainda estava em liberdade, tendo em vista que os outros dois já haviam sido presos em abril, após os ataques a ônibus. "Além de dar o ordenamento, ele também executava diversas ações criminosas. A prisão dele é qualitativa no sentido de que estamos tirando o fornecimento de droga feito por essa facção e seu principal negociador", completou Harley Filho. Apesar das diversas acusações, Régio só foi autuado por posse ilegal de arma de fogo de uso restrito, tráfico de drogas e organização criminosa.

A prisão

Conforme o delegado adjunto da Draco, Alceu Viana, a prisão de Régio se deu na manhã do último dia 29, quando uma operação "cirúrgica" da Polícia Civil culminou em um cerco e na consequente invasão da casa localizada no bairro Mangueiral. "Ele foi localizado com a posse de uma arma de fogo, esboçou uma reação, mas foi imobilizado e não houve troca de tiros. Também capturamos uma quantidade considerável de droga dentro de um veículo, que era utilizado para o comércio dos entorpecentes", ressaltou.

Alceu Viana também consideou a prisão de Régio como um "duro golpe na organização criminosa", uma vez que a quadrilha perdeu seu último líder. "Agora vai ficar dificil ele continuar no comando", complementou.


Diário do Nordeste

Postar um comentário

Você Repórter

Você Repórter
 
Top